Home»Esporte»É o ‘Rei do Futebol’  que colabora com a ditadura

É o ‘Rei do Futebol’  que colabora com a ditadura

0
Shares
Pinterest Google+

Pelé

É o Rei do Futebol  que

colabora com a ditadura

 

Documentário estreia no streaming _ Netflix _ e deixa o atleta nu para a História

 

 

Renato Dias

 

Terceiro general a assumir a presidência da República, em solenidade realizada no dia primeiro de novembro de 1969, o gaúcho, torcedor do Grêmio de Porto Alegre e do Clube de Regatas Flamengo, Emílio Garrastazu Médici levanta a Taça Jules Rimet. Após a conquista do tricam­peo­nato mundial de futebol sediado  no México. Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, sorri. De canto a canto da boca. Tempos sombrios. Da ditadura civil e militar no Brasil [1964-1985].

_ Uma noite que durou 21 anos.

 

Economista graduado na Universidade de São Paulo, a USP, o gordinho com óculos estilo fundo de garrafa, alvo de captura não consumada da  Var _ Palmares, Delfim Netto admite que o governo federal, em 1970, conspira e derruba o então técnico da seleção brasileira, João Saldanha, e monta uma comissão técnica com hegemonia de ‘milicos’. Sob o Milagre Econômico e a repressão política, o tricampeonato era estratégico. Para a alta popularidade.

 

_ Emílio Garrastazu Médici chegou a atingir 82% de aprovação na pesquisa Ibope.

 

História

Nascido em Três Corações, Estado de Minas Gerais, filho do jogador de futebol Dondinho, Pelé é levado para o Santos Futebol Clube. Um time de reduzida expressão até então, em São Paulo. É convocado para a seleção canarinho aos 16 anos de idade. O craque brilha no Mundial, na Suécia, e chora como um menino. É reverenciado pela mídia. No Brasil e no exterior. O bicampeonato vem quatro anos depois: em 1962, no Chile. Com Garrincha e Vavá.

Pelé e Emílio Garrastazu Médici
Pelé e Emílio Garrastazu Médici

_  Sob pressão da ditadura civil e militar.

 

Não custa lembrar: depois da tragédia do ‘Maracanazo’, em 1950, com a derrota do Brasil, por 2 a 1, para a seleção do Uruguai. Sob os olhares perplexos de 200 mil torcedores. No Templo do Futebol. Com um futebol alegre, o Brasil de Pelé é o favorito. Para a Copa do Mundo. Do ano de 1966. Pelé contunde-se. O Brasil é eliminado. Ainda na primeira fase. Da competição. O Rei do Futebol não quer mais vestir a camisa amarela e verde, com o calção azul. Em 1970.

 

_ Pelé, no documentário, ataca João Saldanha.

 

Andrada, ditadura argentina

Pelé fez 1283 gols em sua carreira. Histórico, o milésimo estufou as redes do Vasco da Gama. Goleiro, Andrada. Depois, um agente da repressão. Da ditadura civil e militar. Da Argentina. Ele jogou 1387 partidas. No Brasil, vestiu somente o manto alvinegro do Santos Futebol Clube. Além da seleção brasileira. Depois, embarcou para as terras do Tio Sam. Para jogar no Cosmos. De Nova York.  Com problemas de saúde, utiliza, hoje, um andador. Para se locomover. Triste.

_ História do Tempo Presente.

 

Serviço

Filme_ Pelé

Da_ Netflix

Lançamento_ 23 de fevereiro de 2021

Gênero_ documentário

Direção_ David Tryhorn e Ben Nicholas

Duração_ 1h48 minutos

Observação_ com imagens históricas inéditas

Avaliação_ excelente

Saiba mais

Números do atleta do século XX

1.283

Gols

Pelé

marcou

 

1.387

Partidas

oficiais

disputou

 

 

3

Copas do

Mundo:

ele ganhou

 

2

Mundiais

de clubes

conquistou

 

80

Anos de

idade tem

Pelé, hoje

Previous post

Marconi Perillo quer disputar a Casa Verde

Next post

Espetáculo digital   Dora, guerrilheira, no teatro

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *