Home»Cidade»Triplo homicídio perto de elucidação

Triplo homicídio perto de elucidação

0
Shares
Pinterest Google+

A sangue frio

 Suzana Vilefort, Jéssica Vilefort e Denismar Ricardo: chacina

Suspeita de crime é presa

Advogados acionam OAB e Corregedoria e querem acesso a Inquérito Policial

Renato Dias

O delegado de Polícia Civil Vander Coelho anunciou a prisão, após investigações sigilosas, de uma mulher acusada de ser a suposta mandante do triplo homicídio executado dia 2 de fevereiro de 2022 no município de Leopoldo de Bulhões. A 60 quilômetros de Goiânia.

Delegado de Polícia, Vander Coelho

Triplo homicídio executado dia 2 de fevereiro de 2022 no município de Leopoldo de Bulhões

Suzana Vilefort, o seu namorado Denismar Ricardo, assim como Jéssica Vilefort, sua filha, foram mortos a sangue frio. Na zona rural da histórica cidade de Goiás. A prisão ocorre 12 dias após o crime. O principal suspeito das execuções entregou-se dia 3.

O principal suspeito das execuções entregou-se no último dia 3 de fevereiro de 2022

Sobrevivente

A chacina de 2022 em Leopoldo de Bulhões teve uma única sobrevivente. A namorada de Jéssica Vilefort. É o que informa o familiar das vítimas Railton Nascimento ao Portal de Notícias  www.renatodias.online Sara levou um tiro de raspão, ele relata, emocionado.

Mais um suspeito estaria foragido

Railton Nascimento, parente das três vítimas da chacina

 

Denismar Ricardo era gerente de uma propriedade rural. Suzana Vilefort, trabalhadora do lar. Já Jéssica Vilefort, auxiliar de consultório odontológico. Justiça do Estado é o que a família exige, desabafa o filósofo Railton Nascimento. “Aos responsáveis, o rigor da lei”.

Aos responsáveis, os rigores da lei

Retrocesso civilizatório

Barbárie, resume. Um retrocesso civilizatório, metralha. Produto genuíno da cultura do ódio propagada, hoje, no Brasil, atira. Sem punição, dura, exemplar, a sociedade estará insegura, admite. O que pode estimular crimes semelhantes contra a vida, frisa.

O advogado criminalista Ozéas Pôrto

Criminalista, o advogado Ozéas Porto solicitou a intervenção da OAB. Para obter acesso ao Inquérito Policial. Ele acionou ainda a Corregedoria da Polícia Civil. A ideia é obter dados integrais da operação. Com Madson Veiga, irá, nesta terça-feira, 9h, à Diretoria Geral da PC.

As investigações prosseguem

Ozéas Porto crê ainda que o Inquérito Policial possa ser concluído em 30 dias. As investigações prosseguem, afirma. Os autos serão remetidos ao Ministério Público do Estado de Goiás, frisa. O MP [GO] oferecerá a denúncia, pontua o operador do Direito.

Delegado de Polícia, Bruno Barros Ferreira

A portaria de abertura do IP foi assinada pelo delegado de Vianópolis, Bruno Barros Ferreira, que iniciou as apurações, conta. O titular do Inquérito, hoje, é Leonardo Barbosa Sanches, da Delegacia de Polícia de Silvânia. O delegado de Polícia Wlisses Valentim é da Força-Tarefa.

Delegado de Polícia Leonardo Sanches

Ozéas Porto solicitou a intervenção da OAB. Para obter acesso ao Inquérito Policial

 

Envolvidos

Os envolvidos no triplo homicídio devem ser levados ao Tribunal do Júri, sublinha. Os advogados da família querem a inclusão da sobrevivente no Programa de Proteção às Testemunhas. Uma investigação paralela, independente, com excelência, será feita, garante.

Advogado acionou a Corregedoria da Polícia Civil. A ideia é obter dados integrais da operação. Com Madson Veiga, ele irá, nesta terça-feira, às 9h, à Diretoria Geral da PC [GO]

Previous post

Prefeito de Goiânia reprime ato

Next post

O que diria Olavo de Carvalho?

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *