Home»Política»Lágrimas a Helvécio C.S.

Lágrimas a Helvécio C.S.

2
Shares
Pinterest Google+

 

O último adeus. A dor da partida. O pranto

Lágrimas a Helvécio C.S.

Lágrimas caindo 

16/12/1954

15/11/2021

 Um eterno rebelde anticapitalista

 

Renato Dias

Nascido em 16 de dezembro do ano turbulento de 1954, o jornalista, advogado, chargista, diagramador, caricaturista e músico Helvécio Cardoso e Silva morreu nesta segunda-feira, 15 de novembro de 2021, às 6h. Registro : a  data da proclamação da República. De câncer. No estômago. Ele estava internado no Hospital das Clínicas. O HC é uma instituição da Universidade Federal de Goiás [UFG]. Um eterno rebelde em Goiás de linhagem anticapitalista.

Helvécio Cardoso e Silva

O seu nome de Batismo era Elvécio Cardoso e Silva. Sem o H.  A adoção do H é uma licença poética adotada na longa carreira na área de Jornalismo. Um contemporâneo da modernidade. Filho de Carolina Pureza da Silva e de Odilon Cardoso da Silva. Com mais quatro irmãos: Elzeth Cardoso, Eldeci Cardoso, Odilon Cardoso Júnior e Elzanir Cardoso. A viúva é a técnica em enfermagem Iara Inês Gimenes. O casal morava em na cidade de Goianira.

Torcida do  Vila Nova Futebol Clube, a maior do Centro-Oeste
Torcida do  Vila Nova Futebol Clube, a maior do Centro-Oeste

O atacante Elvécio, um craque oriundo de Silvânia, com dribles curtos e mágicos, o converteu em um apaixonado pelo Vila Nova Futebol Clube. Graduado em Direito na UFG, ingressou no Partido Comunista Brasileiro, o Partidão, depois na ruptura à esquerda, a dissidência  Coletivo Gregório Bezerra, além de ter atuado no PDT. Ele defendia o impea­chment de Jair Messias Bolsonaro, a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva e atacava a Lawfare da Lava Jato.

Luiz Inácio Lula da Silva em dois momentos históricos

Helvécio Cardoso e Silva trabalhou nos seguintes veículos de comunicação social de suporte impresso:  Diário da Manhã, Folha de Goiás, Jornal Opção, Jornal da Imprensa, Revista Movimento. Ele editou o explosivo Jornal de Deboche. Com Itamar Borges e Renato Dias. Mais: ocupou cargos comissionados na Assembleia Legislativa e no Estado. Erudito, um leitor de Karl Marx, Friedrich Engels, Kant, Hegel, Nietzsche e adorava viajar a Paris, França.

Karl Marx e Friedrich Engels
Karl Marx e Friedrich Engels

 

 

Nota de pesar

De Marconi Perillo

É com profundo pesar que lamentamos o falecimento hoje do jornalista Helvécio Cardoso. Formado em Direito, Helvécio C. A. era um dos mais talentosos jornalistas da imprensa de Goiás. Um analista de política respeitado por todos. Com textos fundamentados, claros e incisivos. Era um brilhante conhecedor e contador da história política de Goiás. Ele deixa um legado de sabedoria, conhecimento e decência no jornalismo.  Registramos aqui nossos sentimentos de pesar à família e amigos.

Marconi Perillo

Marconi Ferreira Perillo Jr.

Ex-governador de Goiás

Presidente interino do PSDB de Goiás

 

Mensagem do PCB

O Partido Comunista Brasileiro,  em Goiás, lamenta profundamente o falecimento do jornalista Helvécio Cardoso e Silva. Ele foi militante do PCB e do Comitê Gregório Bezerra nos anos 80 e um incansável defensor das lutas sociais. Recentemente doou parte de seu Acervo e Biblioteca Pessoal para o Centro de Memória e Arquivo do PCB em Goiás. Estará sempre vivo em nossas memórias. Camarada Helvécio Cardoso, presente, hoje e sempre!

Bandeira do PCB

AGI

Jornalismo está em silêncio

O jornalista e advogado Helvécio Cardoso da Silva morreu na manhã desta segunda-feira, 15, às 6h, no Hospital das Clínicas, da UFG, em Goiânia. Lutando há quase três anos contra um câncer, Helvécio deixa quatro filhos – um rapaz e três moças, e a mulher Iara Inês Gimenes.  O velório ocorreu na sala 3 do cemitério Parque Memorial, às margens da GO-020. O sepultamento foi no mesmo local, às 16 horas. Helvécio Cardoso residia, há dez anos, em Goianira [Grande Goiânia].

Valterli Guedes

“Estamos muito tristes. Não foi apenas uma pessoa amiga, querida e um comunicador que nos deixou. Foi a erudição jornalística. O que havia de mais qualificado nas letras noticiosas. Helvécio não era apenas um aficionado ao conhecimento, ele tinha métodos científicos de pesquisas, que abrangiam inúmeras áreas do conhecimento, que o tornava único no cenário jornalístico local”, ressalta o presidente da Associação Goiana de Imprensa, Valterli Guedes. O presidente do Conselho Consultivo da AGI, Tarzan De Castro também lamenta o falecimento do profissional. “Era um brisa, por vezes um vendaval, uma prosa com ele, devido ao nível de informação e referências apresentados por ele. Sem contar que era inevitável, posteriormente, um processo de reflexão sobre o assunto tratado”.

Tarzan de Castro

Natural de Goiânia, Helvécio Cardoso era filho de um motorista e de uma costureira. Iniciou na imprensa goiana como paginador e diagramador, da antiga Folha de Goiás, Diários Associados. À época, também, prestou serviços para agências de publicidade. Em 1978, estreou como repórter no Jornal Opção. No ano seguinte, retornou para a Folha de Goiás, como repórter. Produziu material jornalístico, como redator, da Rádio Brasil Central e da Agência Goiana de Difusão. Ambos do extinto Cerne.

Leonel Brizola

Helvécio Cardoso foi repórter do Diário da Manhã e jornalista freelancer de inúmeras publicações, tendo participado da fundação do Jornal de Deboche, em l979. Graduado em Direito pela UFG, atuou, por mais de 20 anos, como advogado no Tocantins e em Goiás. Militou no antigo PCB, de onde saiu para se filiar ao PDT, chegando, inclusive, a fazer parte da direção estadual. Afastou-se, posteriormente, da sigla, por divergir da linha adotada pela agremiação após a morte de Leonel de Moura Brizola. Há cerca de dois anos, chegou a se submeteu a uma cirurgia, para a retirada de tumor cancerígeno na boca. Na segunda quinzena de outubro passado, este internado na UTI, de onde saiu, dizendo-se revigorado e pronto para a vida. Cartunista e polemista naoa, adorava o conhecimento, assim como não se cansava de buscá-lo. Foi assim que aprendeu inglês e música.

Nota oficial

O que diz Ronaldo Caiado

Goiás perde um dos seus mais talentosos jornalistas, um articulista com profundo conhecimento da realidade nacional, um analista político e estudioso do direito e da história.   Helvécio Cardoso faleceu, nesta segunda-feira (15/11), aos 66 anos, em decorrência das complicações de um câncer no estômago. Formado em Direito pela Universidade Federal de Goiás (UFG), combativo e culto, Helvécio escreveu nos jornais Diário da Manhã, Opção e Folha de Goiás, onde também revelou seu talento como ilustrador. Ele foi um dos mais primorosos profissionais de sua geração e sempre se mostrou diferenciado com suas análises fundamentadas sobre a conjuntura política, o contexto econômico e os desafios sociais. Como advogado, atuou no tribunal do júri em diversos estados. Neste momento de profunda dor e consternação, eu e minha esposa Gracinha Caiado oramos a Deus para que, em sua infinita bondade, possa confortar a cada familiar, amigo e leitor desse intelectual e grande ser humano que Goiás tanto se orgulha de ter tido entre os seus mais brilhantes quadros.

Ronaldo Caiado _ Poder360

Ronaldo Caiado

Governador de Goiás

Previous post

Futuro da CUT ameaçado

Next post

1968: reflexão crítica

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *